Podcast 35 – NATAL… TEMPO DE AMAR E DE PERDOAR

Por:Julio Machado
Podcast

20

nov 2017

CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR

Em meio a tantos apelos para as compras e o acúmulo das festas de fim-de-ano, a celebração do natal costuma passar apenas como um dia para dar e receber presentes. Comemoramos um “aniversário”, mas costumamos esquecer do aniversariante.

Sendo uma festa cristã, o significado do natal está embasado numa mensagem muito simples:

Deus nos criou como seus filhos e só seremos felizes se nos relacionarmos como uma família, amando-nos uns aos outros. Portanto, se cremos nisso, não podemos ver as outras pessoas a não ser como irmãos, filhos de um mesmo Pai. A grande maioria concorda com isso, inclusive muitos cristãos “praticantes”, só que na prática, a teoria é outra.

Uma passagem do evangelho nos lembra do presente que mais agrada a um pai ou a uma mãe: ver seus filhos alegres e unidos. Nesta passagem o Cristo nos adverte que se vamos ao altar de Deus oferecer-Lhe um presente, mas estamos brigados com um irmão, esta oferta é vazia e sem sentido. Ele diz: Vá primeiro reconciliar-te com teu irmão e só depois traga a sua oferta a Deus”.

Claro que todos temos nossos motivos e sempre estamos cobertos de razão para darmos as nossas costas para alguém. Afinal o outro nos ofendeu ou faltou conosco, e nos colocamos no confortável lugar de vítimas. Mas, se almejamos a paz em nossos corações é muito importante que nos reconciliemos com o outro. Quanto mais adiarmos isso, mais sofreremos e atrairemos doenças para o nosso lado.

Por que perdoar? Para sermos generosos, bonzinhos ou condescendentes? Digo que não. Devemos perdoar mais por nós mesmos do que pelos outros. O perdão nos purifica da negatividade, do ódio e do rancor que envenenam e embaçam o nosso espírito. Temos até a ilusão de que se atacamos e culpamos alguém, estaremos livres e confortáveis. Mas, o fato, hoje comprovado também pelas ciências do comportamento humano, é de que nós somos os maiores prejudicados quando guardamos mágoas. Se soubéssemos o mal que fazemos a nós próprios, mais que depressa recolheríamos as nossas pedras e as usaríamos para fazer algo mais construtivo, por exemplo, construir uma ponte.

No campo das ações, podemos dizer que a maioria das pessoas é bastante correta e razoável. Aplicam as regras e respeitam as leis da sociedade. Mas no campo emocional, a realidade é outra. Permite-se tudo: invejas, raivas, maldições, ciúmes, julgamentos, desejos de vingança e de destruição. E depois quando nos sentimos cansados, deprimidos, amedrontados, doentes e com a nossa realidade material se atropelando, achamos que é por puro azar. Ledo engano. Tudo está interligado. Aliás, já não é de hoje que ouvimos dizer: “quem semeia ventos, colhe tempestades”. Mal sabemos que nós mesmos atraímos tudo o que nos acontece, de bom ou de ruim, simplesmente pelo poder da nossa vibração produzida pelos nossos pensamentos, palavras e ações.

Todas as áreas da ciência chegaram, hoje, a uma mesma conclusão: bons pensamentos e palavras BEM-DITAS iluminam e aquecem a vida, enquanto pensamentos e palavras negativas (malditas) podem chegar a destruí-la.

Este é o grande APELO do natal : amar e perdoar. Pois assim como perdoamos somos perdoados; e é amando que espalhamos as boas sementes dos frutos que certamente colheremos.

O espírito do natal nos convida a darmos um passo além das nossas fortificações e a abrirmos uma pequena fresta na porta dos nossos corações para darmos um sorriso singelo: para a esposa ou para o marido, para os filhos, para o vizinho e também para as pessoas que nos servem onde moramos. Se ousarmos um pouco mais, podemos também dar um abraço.

A partir deste sorriso e deste abraço, podemos deixar no passado as mágoas familiares e os desentendimentos com os vizinhos. Assim estaremos com o nosso espírito mais limpo para, como os “reis” que somos, trazer a nossa oferta diante do presépio onde o amor renasce, mais uma vez, para habitar dentro de nós.

 

Compartilhe:

Rua João Chagas 383 / 1203 - Bairro União - Belo Horizonte - MG CEP 31170-370

(31)98744.0793

julio@juliomachado.com.br

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.