(31)98744.0793

julio@juliomachado.com.br

Podcast 72 – SÓ É LIVRE QUEM PODE ESCOLHER

Por:Julio Machado
Podcast

30

jun 2022

CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR

No podcast número 71 demos alguns exemplos de como podemos nos sentir melhor a partir de mudanças que fazemos em nós mesmos. Esse assunto é tão importante para a nossa saúde, tanto física como emocional, que queremos explorá-lo mais um pouco esta semana. Poderíamos generalizar dizendo que todo ser humano deseja ficar livre do sofrimento e experimentar um estado de mais paz e felicidade. Creio que esse seja também o seu caso. O X da questão é como conseguir isso?

Bom meus amigos, para tentar solucionar essa equação humana, muitas correntes filosóficas e religiosas tem se ocupado desse tema ao logo de toda a história. Vejamos algumas citações ilustres:

Jesus disse: “Vai! Como creste, assim te seja feito!”         

Buda disse: “Somos formados por nossos pensamentos. Nós nos tornamos o que pensamos.”

Esta outra frase é de  Norman Vicent Peale: Mude seus pensamentos e você mudará seu mundo.”                            

James Allen assim enunciou: “Você está hoje onde seus pensamentos o trouxeram, e estará amanhã onde seus pensamentos o levarem.”                  

E terminamos com Charles Darwin dizendo: “O mais alto estágio da cultura moral é quando reconhecemos que precisamos controlar nossos pensamentos.”                                       

Cada uma faz a sua receita, mas a maioria concorda em alguns pontos fundamentais. Um deles poderia ser enunciado da seguinte maneira: “Não faça a sua felicidade depender de outra coisa que não seja você mesmo.” O detalhe é que fomos educados para perceber ao contrário: o namorado ou namorada sendo a razão da nossa felicidade, ou a quantidade de dinheiro ou o grau de escolaridade determinando o tamanho da felicidade de alguém. Até mesmo um time de futebol passa a ser a razão da felicidade ou infelicidade de um torcedor mais desavisado.

Afinal, quem é o responsável pelo que ocorre em nossas vidas?

O mundo, que vemos diante de nossos olhos, nada faz por conta própria, e não tem qualquer poder de forma alguma, porque ele, meramente, representa o que pensamos dele. Assim sendo, só conseguimos mudar o mundo que vemos, mudando nossos pensamentos a respeito dele.

Na grande maioria das vezes sofremos por causa de nós mesmos e nem nos damos conta disso. Nem cogitamos de nos perguntar: porque estou sofrendo? Se fizéssemos uma investigação honesta veríamos que se mudássemos as nossas crenças e ideias a respeito daquilo o nosso sofrimento desapareceria.

No evangelho tem uma frase de Jesus muito reveladora a este respeito: “Você que vê o cisco no olho do seu irmão, vá primeiro tirar a trave que está no seu próprio olho.” Como se ele quisesse nos dizer: pare de acusar os outros e o mundo pela sua infelicidade. Vá primeiro fazer a sua higiene mental, daí você poderá ver aquele mesmo fato de um outro jeito. Não é o problema que causa seu sofrimento; é o seu pensamento a respeito do problema que te infelicita.

O que pouca gente sabe é que estamos o tempo todo escolhendo sobre o destino e o perfil da nossa vida. Quando nos sintonizamos com um “canal de pensamento”, seja qual for, na verdade estamos fazendo uma escolha sobre o que iremos sentir, pois, como já dissemos, são os pensamentos que provocam as nossas emoções. Enquanto não começarmos a investigar o que está na nossa mente, esse processo continuará inconsciente e automático.

Não existe qualquer culpa em se sentir assim ou assado, nem é certo ou errado sofrer ou se alegrar diante de uma dada situação. O que estamos tratando aqui é do quanto podemos assumir de responsabilidade sobre os nossos sentimentos, pois um maior domínio da nossa vida começa por aí: escolher o que queremos pensar a respeito do que nos acontece. E o segredo é termos a força e a coragem de nos fazer uma simples perguntinha, principalmente nos momentos de conflito. A pergunta é: existiria uma outra forma de pensar sobre isso que poderia me trazer mais paz?

Só assim poderemos aumentar a nossa liberdade! Uma pessoa é mais livre quanto mais pode fazer, conscientemente, suas escolhas. O que normalmente acontece é que as nossas crenças e pensamentos inconscientes é que governam a nossa vida. Como não nos damos conta disso passamos a achar então que são os outros os responsáveis pelo que sentimos. As novelas e as canções populares reforçam esta ilusão o tempo todo.

Todo dia, não importa quem, quando ou onde estejamos, não importa em que circunstância, ou que pessoas pareçam nos rodear, nós temos o poder, intransferível, de escolher se vamos ficar de baixo astral ou alto astral. Ou deixamos os fatos da vida definirem a nossa realidade interior, ou escolhemos nos sentir em paz e confiantes, apesar de…

 

Compartilhe:

Olá, tem alguma dúvida? Clique aqui!