Podcast 48 – A força da palavra “mas,”

Por:Julio Machado
Podcast

22

May 2019

 

 

Nos primeiros podcasts que editamos em nosso site, abordamos várias temáticas envolvendo mudanças de paradigmas e criamos até o jargão: a saída é pelo outro lado.

Pois bem, hoje vamos refletir sobre o poder de uma palavra, a palavra MAS.  Observem como esta palavra tem um poder interessante. Ela anula o que vem antes dela na frase.

Por exemplo, quando dissemos:
“Eu quero viajar para Europa, mas isso vai custar muito caro”.
Nesta frase, o querer viajar para Europa perdeu a força diante do fato de custar caro.
Assim sendo, a viagem está praticamente descartada.

“Você fez um bom trabalho, mas faltou um pequeno detalhe…”
Como você se sentiria diante de um comentário como este em relação a seu trabalho?

E se a pessoa dissesse: “Faltou um pequeno detalhe, mas você fez um bom trabalho”. Não soaria diferente?

Quando mal utilizada, a palavra “mas” desmotiva, desanima, enfraquece a pessoa, diminui a autoestima.

Vejamos mais alguns exemplos:
· “Quero ter sucesso na carreira, mas estou numa profissão que não é valorizada.”
· “Quero ter meu negócio próprio, mas não tenho capital.”
· “Quero dobrar meus rendimentos, mas não sei como.”

Você consegue agora notar o efeito desta palavra nas frases? Ela anulou todo o bom propósito enunciado antes dela. Mas, quando bem utilizada, ela se torna uma aliada poderosa.

Veja como muda o paradigma, quando trocamos de posição a parte da frase que vinha antes e depois da palavra “mas”:

“Quero ter sucesso na carreira, mas estou numa profissão que não é valorizada”. TROCANDO AGORA AS FRASES DE LUGAR
“Estou numa profissão que não é valorizada, mas quero ter sucesso na carreira!”

“Quero ter meu próprio negócio , mas não tenho capital.”
Vamos trocar? “Não tenho capital, mas quero ter meu próprio negócio .”

Quando fazemos essa inversão na construção da frase os obstáculos perdem sua importância. Só com esta pequena mudança, reprogramamos a nossa mente para que possam surgir idéias interessantes para superar os obstáculos.

Quando você diz que “quero ter meu próprio negócio , mas não tenho capital” … é como se estivesse desistindo, ou no mínimo você fica sem esperança.

Quando mudamos o paradigma e dizemos “não tenho capital, mas quero ter o meu próprio negócio”, a nossa disposição interna agora é outra.  É mais dinâmica e criativa no sentido de irmos em busca das possibilidades: procurar um sócio com capital é uma das opções, ou começar a poupar e formar o capital para iniciar o negócio próprio, ou procurar um negócio compatível com o capital de que dispõe, e assim por diante.

A fórmula é muito simples: quando perceber que sua frase usa o “mas” como desculpa para se sentir mal, simplesmente gire a frase a 180 graus. Troque de posição as partes que estão antes e depois do “mas” e isso fará uma grande diferença.

“Quero dobrar meus rendimentos, mas não sei como.” Isso é impotência
“Não sei como, mas quero dobrar meus rendimentos.” Isso é sucesso

Fazendo isso, você poderá elevar sua autoestima, ser mais produtivo, mais animado, mais motivado, enfim, ter mais sucesso.
O mais importante que precisamos observar nesse exercício não é apenas a construção das frases, como se bastasse falar de um modo apropriado para que a nossa vida mudasse milagrosamente. O mais importante é compreendermos que a maneira como dizemos as palavras refletem a estrutura do nosso pensamento. E é a forma como pensamos que precisa ser mudada.

Partindo então do pressuposto que as frases refletem o nosso pensamento, se treinarmos mudar a estrutura das frases que construímos com a palavra “mas”, cremos que elas também estimularão uma mudança na nossa maneira de pensar.

Toda mudança de hábito é difícil no começo, mas com treinamento e determinação podemos chegar onde queremos.

 

Compartilhe:

Rua João Chagas 383 / 1203 - Bairro União - Belo Horizonte - MG CEP 31170-370

(31) 3486-9883

luxor@juliomachado.com.br