(31)98744.0793

julio@juliomachado.com.br

Podcast 57 – ENSINANDO VALORES ÀS CRIANÇAS

Por:Julio Machado
Podcast

27

nov 2021

CLIQUE NO PLAY PARA OUVIR

Quero hoje dar algumas dicas de como ensinar valores às crianças.

O ambiente familiar é um dos mais destacados laboratórios de aprendizagem de conceitos e valores e isso acontece através do que as crianças observam e absorvem daquilo que é dito e vivenciado pelos pais no dia a dia. Como os valores que aprendemos na infância são os que carregamos pela vida afora, é importante que os pais ou os responsáveis pela criança sejam influências positivas em seu cotidiano. Os pequenos são super antenados, são experts em flagrar os adultos dizendo

algo e tendo um comportamento incoerente com o seu discurso. Então, é importante estarmos vigilantes para que o que falamos e o que fazemos estejam em conformidade com a nossa verdadeira intenção.

De nada adianta ensinar a criança a pedir “por favor” quando solicita algo, se os pais não o fazem, mas “ordenam”. De nada adianta ensinar a criança a dizer “obrigado”, se os pais  mesmos não reconhecem as gentilezas dos filhos, agradecendo-os, ao invés de pensarem que não fizeram nada mais que a obrigação. Ou pedir à criança que não grite quando ela observa seus pais gritando um com outro e assim por diante. Esses são exemplos clássicos de questões simples do cotidiano, mas que ilustram como a base do caráter é formada através de observação e repetição de comportamentos.

Não é demais enfatizar o que já abordamos no podcast 53, quando dissemos que são os próprios filhos que irão escolher o rumo da sua vida a partir dos ingredientes que lhes são apresentados na sua convivência familiar. Com isso pensamos que a vida das pessoas pode dar mais certo ou mais errado, apesar da educação que receberam na infância. Ou seja, a educação influencia muito, mas não determina. Dito isso, vamos seguir adiante.

São inúmeras as oportunidades que os pais têm para mostrar a importância de desenvolver e cultivar valores como solidariedade, respeito, generosidade, gratidão, responsabilidade. Claro que fazemos isso espontaneamente durante a convivência, mas podemos incrementar mais essa função educativa agindo também de um modo intencional e deliberado. Como se diz aqui em Minas, “de causo pensado”. A maioria dos pais nem percebe as chances que perdem de ensinar seus filhos.

Veja, então, algumas dicas de como podemos aproveitar situações corriqueiras para solidificar esses valores:

  • A partir dos seis anos, peça permissão para verificar a mochila da escola ou avise que vai fazê-lo. Lembre de explicar o motivo: se há recados na agenda, por exemplo. Quando a criança for um pouco mais velha, passe a perguntar e peça que ela mesma mostre a agenda. Isso fará com que naturalmente ela não mexa no que não é dela sem pedir permissão, lhe dará noções de respeito e limites, e fará com que ela entenda o que é seu e o que é do outro.
  • Uma vez por ano, no dia das crianças e/ou Natal, por exemplo, peça que seu filho identifique os brinquedos que não usa mais e avise-o que enquanto ele faz esse “trabalho” você estará fazendo o mesmo com suas roupas. Deixe que ele vá com você num orfanato ou igreja para fazer a doação. Isso lhe dará um senso de realidade, aprenderá a repartir suas coisas e a não acumular o que não usa. É uma lição de desapego.
  • Convide a criança a guardar os brinquedos e algumas vezes a ajude. Caso ela se recuse, guarde você mesmo num local inacessível e a ensine a olhar no calendário, estabelecendo uma data para que ela volte a poder brincar com aquele brinquedo, três, cinco dias, por exemplo. Ela aprenderá que não se responsabilizar por suas coisas tem consequências que nem sempre são agradáveis. Mas é preciso que você seja firme, pois dessa forma ela também aprende a confiar em sua palavra.
  • Ajudar a criança com suas pequenas tarefas autoriza os pais a pedir ajuda também. Por exemplo, pedir a criança para colocar e retirar os pratos da mesa ou enxugar a louça. Isso desenvolve um senso de solidariedade, ela aprende que as tarefas são realizadas de forma mais rápida e eficiente quando feitas em conjunto.
  • Procure não esquecer de agradecer ou de dar os parabéns não apenas por suas solicitações atendidas, como também por boas atitudes que os filhos fazem espontaneamente. Elas aprenderão a importância do reconhecimento e da gratidão e também se manifestarão quando as pessoas forem generosas com elas.
  • Se você puder tenha um animal de estimação. A amizade entre crianças e bichos promove um inestimável aprendizado com relação a aceitar as diferenças e desenvolverá nela sentimentos de compaixão, respeito e amor incondicional. Não cuide do animal sozinho, divida com ela os cuidados com o animal, como troca de água, oferta de alimento e banho, por exemplo. Isso lhe dará noções de compromisso em cuidar de um ser vivo.

Valeu pessoal, agora é só ficar atento para não perder as oportunidades que surgem como também não se esquecer de provocar algumas também.

 

Compartilhe:

Olá, tem alguma dúvida? Clique aqui!