(31)98744.0793

julio@juliomachado.com.br

O professor educador – relações afetivas no sistema ensino-aprendizagem

Por:Julio Machado
Workshops

25

mar 2015

O PROFESSOR EDUCADOR: RELAÇÕES AFETIVAS NO SISTEMA ENSINO-APRENDIZAGEM –

E o Mestre? O que terá acontecido com ele?
Mestre é um educador, diferente de professor.
Professor é profissão, não é algo que se define por dentro, por amor.
Educador, ao contrário, não é profissão; é vocação”. Rubem Alves

 

OBJETIVOS GERAIS:

  • Proporcionar a oportunidade de uma revisão dos “modelos mentais” que influenciam as relações de aprendizagem, como também uma análise das principais resistências ao aprendizado, traduzido aqui como “mudança de comportamento”;
    • Sensibilizar as pessoas para a importância de se buscar um sentido de missão (em consonância com os objetivos pessoais) comum a todo o corpo docente, essencial para o engajamento e a motivação dos seus integrantes;
    • Sensibilizar os educadores para a importância do cuidado pessoal no que tange à sua saúde, suas emoções, seu humor, como fator de suma importância no sucesso do seu trabalho, contribuindo também para o bom astral da instituição;
    • Proporcionar uma reflexão teórico-vivencial do processo ensino-aprendizagem, dentro de uma abordagem sistêmica (compreendendo a realidade como um todo indivisível e autorrecorrente);
    • Treinar algumas habilidades do relacionamento interpessoal que visam facilitar a aprendizagem grupal e aumentar o nível de prazer na convivência diária;
    • Treinar alguns exercícios de relaxamento e de concentração que visam adquirir um maior equilíbrio emocional e reforço do domínio pessoal.

PÚBLICO ALVO: Professores em geral (do maternal à faculdade), especialistas em educação, profissionais da saúde.

METODOLOGIA DO WORKSHOP: A abordagem será feita através de palestras e exercícios prático-vivenciais, utilizando-se de “cases”, dinâmicas de grupo, vídeos e filmes editados, de modo que a teoria seja uma decodificação das experiências vividas pelo grupo, buscando a sua aplicabilidade na realidade tanto pessoal como profissional

DURAÇÃO DO TRABALHO:  Workshop com 04 a 12 h (tamanho do grupo a combinar)


1º MÓDULO (04h): MOTIVAÇÃO E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL NO TRABALHO

– Palestra de sensibilização (60 min.): AUTOMOTIVAÇÃO E PRAZER NO TRABALHO

Uma  das maneiras mais assertivas de motivar as pessoas e de reconhecer a importância do seu trabalho é ajudá-las a desenvolver os seguintes pilares:
 Autonomia: o desejo de expressar o seu talento com criatividade e com liberdade para direcionar suas próprias vidas.
 Domínio: o desejo de melhorar cada vez  mais sentindo a importância daquilo que fazem.
– Propósito: o desejo de prestar um serviço e de fazer parte de uma causa maior que faça diferença na comunidade onde estão inseridas.

Trabalho não é sinônimo de emprego, mas de uma ação que agrega um valor ao ser que o realiza, permitindo ao ser humano evoluir e conquistar sua verdadeira vocação. O trabalho não é um mal necessário, nem uma maldição, pelo contrário, concebido e executado de forma consciente, torna-se uma fonte de prazer e de realização pessoal.

– Dinâmica de grupo (30 min.): com o objetivo de promover uma integração entre os participantes e, ao mesmo tempo, trabalhar o conceito de
engajamento pessoal com vistas ao sucesso grupal.

 – Ciranda de integração e harmonização grupal (30 min.).

– Palestra (45 min.): COMUNICAÇÃO INTER-PESSOAL. (Mesclada com seleção de pequenos vídeos sobre ética e relacionamento interpessoal).

“Para viver num mundo quântico, para tecer aqui e ali com facilidade e graça, teremos necessidade de modificar aquilo que fazemos. Teremos de parar de descrever tarefas e dedicar-nos a facilitar o processo. Precisamos adquirir conhecimentos sobre como construir relacionamentos, como alimentar o crescimento e como desenvolver coisas. Todos nós vamos precisar de melhores capacidades para ouvir, para comunicar e para facilitar  grupos, porque são esses os talentos que criam relacionamentos sólidos.  O poder nas organizações é a capacidade gerada pelos relacionamentos.”

( Margaret J. Wheatley no seu livro  “Liderança e a nova ciência”)

– Dinâmica “Você decide!” (45 min.), com o objetivo de treinar a comunicação inter-pessoal, respeito às diferenças e a tomada de decisões;


2º MÓDULO (04h): PEDAGOGIA AFETIVA

 Palestra (60 min): O PROFESSOR EDUCADOR – relações afetivas no sistema ensino-aprendizagem

Ao longo dos anos, o papel do professor vem sofrendo um crescente desgaste. As exigências naturais da profissão levam-no, geralmente, a supervalorizar o desenvolvimento intelectual dos alunos, priorizando conteúdos programáticos e resultados quantitativos, em detrimento do projeto pedagógico e da relação afetiva com seus alunos.

Sonhamos com uma nova escola. Um lugar onde o professor – aquele que apenas transmite informações, dê lugar ao educador – aquele que interage, que incentiva o estudante a buscar as informações, aquele que está também comprometido com a construção da autoestima de seu aluno.

Filme editado “Mr.Holland – adorável professor + comentários (45 mim.)

– Palestra (60 min): COMO TORNAR A ESCOLA MAIS INTERESSANTE PARA TODOS

“Todo professor foi aluno um dia, os melhores continuam sendo.” (Rubem Alves)

Neste século XXI, caracterizado por constantes revoluções tecnológicas, mudanças no quadro familiar e acesso ilimitado à informação, faz-se necessário renovar o papel da escola, sobretudo a sua prática pedagógica. Precisamos resgatar o sentimento de que cada dia de aula contribui, de fato, para a formação do aluno, de modo que ele sinta mais prazer em participar das atividades escolares.

No entanto, se o professor for apenas cobrado e não devidamente estimulado a aprender para atualizar seus métodos e posturas pedagógicas, tudo isso esbarrará numa grande limitação. É o professor quem pode mediar conteúdos diversos, dos tradicionais aos atuais, e fazer valer o sentido mais profundo do termo “ferramenta” para todo o aparato tecnológico que já está aí nas mãos desta nova geração.

– Dinâmica de foto-linguagem (45 min.): colagem com recortes de gravuras de revistas, com o objetivo de dar vazão aos sonhos pessoais e profissionais, a partir da seguinte consigna:  Como é a escola dos meus sonhos?

 

3º MÓDULO (04h): COMPETÊNCIA SOCIO-EMOCIONAL DO EDUCADOR

– Dinâmica de harmonização grupal – dança circular (30 min.), com o objetivo de treinar a concentração e o sentimento de se fazer parte de um todo maior

– Palestra (60 min.): DISCIPLINA, EQUILÍBRIO EMOCIONAL E MUDANÇA DE COMPORTAMENTO.

Aprender a ter mais disciplina e equilíbrio emocional implica em rever alguns esquemas mentais que estão na base de muitos conflitos e desgastes, tanto no relacionamento com pessoas como com o mundo à nossa volta. Implica também aprender e praticar regularmente alguns exercícios de relaxamento e de concentração, como também implementar novos hábitos.

A conscientização das pessoas, neste sentido, leva a uma maior maturidade e consequente responsabilidade em tornar, ela própria, a principal responsável pelo seu estado de humor e de bem-estar, contagiando o ambiente à sua volta.

– Exercícios de respiração e de concentração (30min.)

– Palestra (45 min.): O PODER DAS CRENÇAS – O MUNDO NÃO MUDA, NÓS MUDAMOS

O fracasso na sustentação de mudanças significativas se repete mais e mais vezes nas organizações, apesar dos substanciais recursos alocados nesse esforço, das pessoas talentosas e comprometidas em estar “conduzindo a mudança” e dos altos interesses em jogo.

Peter Senge, no seu novo livro A dança das mudanças, defende a premissa de que as fontes desse problema não podem ser remediadas por conselhos de especialistas, melhores consultores e gerentes mais comprometidos. Essas fontes estão em nossa forma básica de pensar. E, se esta não mudar, qualquer nova “contribuição” acabará gerando os mesmos tipos de ação fundamentalmente improdutivos.

– Exercício sobre dar e receber reconhecimento (45 min.) inspirado no vídeo “Validação” e no texto “O poder da validação”.

 

 

Compartilhe:

Olá, tem alguma dúvida? Clique aqui!